Camis

Estilo

Looks de vdd – produções da vida real

Cada vez mais eu vejo o quanto é importante nessa vida que as mulheres apoiem umas as outras. E foi de mulheres querendo ajudar umas as outras a se sentirem mais bonitas e confiantes que nasceu esse projeto que já tem todo meu amor: o Looks de Vdd.

Tenho colegas de trabalho maravilhosas, que já se tornaram amigas do coração. Nós sempre conversamos sobre moda, sobre corpo e sobre auto estima e o quanto é destrutivo ficar se comparando com blogueiras e padrões de beleza fora da realidade. A gente tem a mania de seguir um monte de It Girls no Instagram sem perceber que isso nos coloca pra baixo porque não temos o corpo perfeito, o closet perfeito e nem o estilo de vida dos sonhos que elas meninas exaltam nas suas redes sociais. O que a gente tem? A gente tem bom gosto, sim, a gente tem cartão da Renner, tem que pegar ônibus pra trabalhar, tem que caminhar, tem que pagar a conta de luz, a gente tem uma vida real né amores? E foi por isso que criamos uma conta no Instagram pra postar nossos looks do dia-a-dia e mostrar que podemos nos sentir lindas com nossos corpos e looks reais. A ideia é inspirar outras meninas e também pra que nós mesmas possamos fortalecer nossa auto estima <3

Somos 7 meninas e cada dia da semana uma de nós vai mostrar seu look, marcando na foto a marca/loja onde cada peça foi comprada pra mostrar que é VIDA REAL MESMO hahaha. Através da hashtag #looksdevdd você pode marcar a gente, pra nós conhecermos seu estilo também.

Acima de tudo o objetivo do projeto é reforçar a aceitação fazendo com que mais meninas amem seus corpos, seus estilos e quem elas são. Pode parecer muita pretensão da nossa parte mas a gente sonha alto mesmo! hahaha

Acompanhe a gente e use a hashtag. Vamos amar ver seu look! www.instagram.com/looksdevdd

Favoritos

Favoritos

1.

Onde morávamos tinha espaço pra gente ter uma rede na sala e quando finalmente colocamos ela virou o lugar mais disputado na hora de ver TV. Infelizmente aqui no apê não temos onde colocar, mas tenho planos de criar um ambiente parecido com esse na sacada em breve, com mesinha, cadeiras e plantinhas. Um lugar gostoso pra tomar chimarrão e ler ~seria meu sonho. 

2.

Comecei a pesquisar referências para um possível armário cápsula de inverno. Digo possível porque nunca consegui colocar o AC em prática de verdade porque tenho pena de me desfazer de algumas roupas, apesar de já ter muuuuito menos do que tinha antes acho que chegar a 36 peças é um pouco difícil pra mim, mas vamos acompanhando. Amei a paleta de cores e as padronagens dessa foto que pinei esses dias. Preto, branco e rosa com padrões de listras e bolinhas = ♥

3.

NUNCA pensei que fosse dizer isso na minha vida depois dos anos 2000, mas estou desejando um meião over the knee. O mundo dá voltas né? Mas olha essa composição bem neutra com botinha e meia calça preta que gracinha, não tem como não desejar. #veminverno

E gostaria de registrar que esse é o segundo post de HOJE. Estou muito blogueirinha nesse domingo chuvoso.

Beijos

30 happy days

30 happy days #2

/manhãs.

Olha quem falhei com o projeto logo no segundo post? Euzinha, campeã mundial de deixar coisas pela metade. Ou menos que a metade. Mas dessa vez estou comprometida em levar até o fim, mesmo que com alguns tropeços pelo caminho.

Estou escrevendo esse post em um domingo de manhã, daqueles mais gostosos que existem. Acordei com o barulho da chuva e a temperatura mais fresquinha que tivemos em muitos dias. Lucas levantou, colocou ração para os gatos e me perguntou: “quer café?”. Respondi que sim, e levantei apesar de tudo estar muito propício a ficar na cama. Enquanto tomava café da manhã com a chuva batendo na janela me dei conta de o quanto amo esse ritual matinal e o quanto eu – do meu jeitinho – amo as manhãs. Sempre soube que a manhã é meu horário mais produtivo mas nesse horário sou ironicamente mais introspectiva e mais calma, talvez por isso crie melhor. Sou dessas pessoas que só conversa o necessário quando acorda, preciso ter o “meu tempo” e como amo esse tempo.

Sempre achei que gostar de acordar cedo em finais de semana fosse coisa de gente velha, talvez eu esteja velha mas talvez eu tenha apenas aprendido a valorizar mais os momentos gostosos do dia-a-dia por mais simples que sejam. Tomar uma xícara de café ouvindo barulho da chuva, acompanhada de alguém que eu amo e que entende totalmente minhas manias matinais é um desses momentos que gostaria de congelar. Acho que a maturidade traz esse tipo de sensibilidade pra gente, de saber que tudo que a gente vive é único.

Adoro manhãs.

Estilo

O que você tem medo de vestir?

É engraçado pensar como algo tão inofensivo como uma roupa possa conseguir botar medo na gente né? Na verdade, vamos mais longe: a nossa aparência – e o que os outros acham dela – é que nos coloca medo de verdade. Por mais que a gente tente se tornar imune ao julgamento alheio isso é muito difícil porque nós sabemos o quanto as pessoas sabem ser cruéis e como elas estão sempre dispostas a gastar sua energia falando mal da aparência de outra pessoa a troco de nada.

Adquiri confiança para experimentar coisas novas na moda lá pelos meus 18 anos mais ou menos, até então eu era aquela clássica menina discreta que senta no canto da sala e que as pessoas mal sabem o nome. Eu não queria ser notada, eu tinha medo de usar algo diferente e parecer ridícula então preferia usar calça e moletom porque aí não tinha erro. Adolescência, que fase cruel com a gente.

Hoje tenho 25 anos e mesmo muito mais segura da minha aparência e do meu estilo do que antes, as vezes me pego pensando se eu “posso” usar alguma coisa. Gosto muito de planejar minhas compras de roupas para a estação baseada no conceito do armário cápsula, onde eu pesquiso referências, escolho uma paleta de cores e a partir dai monto um guarda-roupas com peças coringa que combinem entre si. Hoje, quando pensava na minha paleta de cores me deparei com muitas referências com toques de rosa e essa foi minha cor favorita a vida inteira. Me peguei pensando em como eu gostaria de usar rosa, mas que talvez eu não tivesse mais idade pra isso. As pessoas me achariam infantil, talvez me achariam RIDÍCULA, não posso usar rosa aos 25 anos.

Cês percebem o tamanho da bobagem? Eu tive medo de uma COR. Medo de julgamento pela minha aparência. Quantas vezes isso nos impede de fazer alguma coisa? Quantas vezes você já achou que não tinha idade pra usar certa roupa, que era baixinha demais pra usar saia midi ou alta demais para usar salto, que não tinha “corpo” para aquele vestido ou que não segurava um look diferentão? Como a gente é refém da opinião dos outros.

Eu sei que pode não parecer grande coisa, mas esse inverno eu vou usar ROSA. E mais do que isso, inspirada no post do Modices, eu não quero deixar mais de usar uma roupa porque ela marca minha barriga. Pode ser um pequeno passo, mas é vencendo uma coisinha de cada vez que a gente se liberta do medo de julgamentos e se permite ser mais feliz.

Quem tá comigo? ♥

30 happy days

30 happy days #1

/café.

Acho que todo mundo que me conhece ou já passou algum tempo comigo sabe do meu vício por café. Não me lembro de um único dia nos últimos anos em que tenha passado 24 horas sem, simplesmente não consigo. Mas não é só pela cafeína que dá uma sensação de energia, o café tem um significado muito gostosinho no meu dia a dia.

O café pra mim é uma pausa, é um respiro antes de começar alguma coisa importante, um momento de papo com alguém querido, é um aconchego. O cheirinho do café é quase tão reconfortante quanto o próprio café, pra mim é a melhor forma de começar o dia.

Gilmore Girls é uma das minhas séries favoritas e não é por acaso, se fosse pela paixão por café eu poderia muito bem ser uma Gilmore. Assim como a Lorelai, acho impossível sair de casa sem uma ou duas xícaras – no mínimo. E sou uma pouco chata para café: pra mim quando mais simples melhor. Odeio café de máquina, odeio café expresso, gosto mesmo é do bom e velho café coado.

Não planejei que o primeiro post do projeto fosse sobre isso, mas quando me preparei pra começar a escrever com a minha xícara de café na mão e o cheirinho espalhado pela casa percebi que não teria como falar de outra coisa. Café me faz feliz. Fim.