Uncategorized

Negresco

Eu e Lucas nos mudamos para o apartamento fazem mais ou menos 15 dias. Logo nos primeiros dias meu radar para gatos identificou uma ninhada de mais ou menos oito (!!!) gatinhos perto do apartamento, mas consciente de que já tinha dois na minha casa e que não poderia salvar o mundo me limitei a enviar mensagens para algumas ongs pedindo ajuda. Meus gatos, Bernardo e Lola, ainda estavam se adaptando, o apartamento era pequeno, todos dos motivos para não adotar mais um gato eu tinha.

Até que um dia meu amor por gatos falou mais alto e resolvi tentar contato físico com os bichinhos do outro lado da cerca e um deles, pretinho e mais magrinho que os outros, me chamou atenção. Era só carinho e ronron, me lembrando muito uma gatinha preta que tive por 13 anos e morreu um pouquinho depois que eu casei.  Nos dias seguintes continuei passando lá perto e notei o tal gatinho mais triste e quietinho em um canto, fiquei de coração partido e levei pra casa.

No começo foi o caos, os gatos ficaram surtados e descobrimos que o Negresco – dei esse nome pra ele – estava bastante doente. Concluímos que íamos cuidar dele até estar melhor e então doar para alguém, já que não estávamos em condições muito favoráveis à ter mais um gatinho.

A partir daí seguiram-se muitas consultas ao veterinário e muitas tentativas de adaptação com os outros gatos. Quando pegamos o Negresco ele não comia NADA e tinha diarreia a cada minuto, se não tivéssemos pego ele naquele exato dia talvez teria sido tarde. O veterinário nos disse que devido ao começo de vida difícil dele, ele estava com vermes e anemia e por isso precisava de atenção e cuidados. Além da medicação tínhamos que estimular ele a comer de duas em duas horas e essa passou a ser minha missão. Para ele ter alguma melhora e começar a se alimentar sem a gente levou mais ou menos 10 dias.

A adaptação com os outros gatos parecia impossível, mas tive a felicidade de conversar com a Isadora nesse período e ela me contou como foi a adaptação da Baunilha com os outros gatos deles, que rolaram muitos fuuuuuuu e que isso é super normal. Eles tem o tempo deles para se entender mas uma hora ou outra acontece. E aconteceu.

Depois que todo o drama passou e nossa rotina se estabilizou apareceu um adotante mas aí já era tarde demais. Não consegui lidar com a ideia de não ter mais ele com a gente e decidimos que ele já era parte da família. Na verdade desde o começo, lá no fundo, eu sabia que o Negresco era pra ser nosso. ♥

 

Leave a Reply