Literatura

Moda com Propósito

O livro Moda com Propósito, do André Carvalhal, é um daqueles que a gente demora pra terminar de ler. Não que a leitura seja pesada ou difícil, mas porque é tanto aprendizado em cada página – MAS TANTO MESMO – que eu não queria que acabasse. Fui lendo aos poucos, duas páginas aqui e três ali, e tentando absorver toda a informação que estava bem ali na minha frente. Posso dizer que esse foi um dos livros que me transformou, foi como se um novo mundo se abrisse diante de mim e tudo passasse a fazer sentido.

Moda com Propósito não fala sobre moda e tendências do que estamos acostumados. Não é sobre a próxima trend que as pessoas vão desejar, não é sobre uma peça que você vai “precisar ter” no próximo inverno. Definitivamente não. É sobre o oposto. O André traz todo um contexto sobre um novo momento da moda que já estamos começando a viver e sobre o fim da moda que a gente conhece. Os recursos pra produzir roupa da forma alucinada que a gente vê estão se esgotando e as pessoas já estão começando a se cansar (ainda bem) de um novo “tem-que-ter” a cada semana. Qual o sentido disso? Até quando a gente pode continuar comprando roupa por impulso e descartando sem dó? Qual valor isso traz pras nossas vidas? São questões né mores, questões que inquietaram meu coraçãozinho de um jeito que eu jamais imaginei.

Como resposta a esse novo cenário surgem marcas e empresas dispostas a fazer moda de um jeito diferente. Com causas genuínas e não só jogadinhas de marketing (que o consumidor já sabe de longe diferenciar, né não?). Marcas preocupadas em produzir de forma justa, tendo uma relação saudável com seus colaboradores. Interessadas em usar matéria prima que não agride o meio ambiente, em tingir tecido sem poluir, em usar parte do lucro pra apoiar quem precisa e por aí vai. E o consumidor também tá mudando, ele não tá mais interessado só no produto final que a marca tem pra oferecer mas ele quer se identificar de verdade com o propósito dela – yey!

Esse livro me trouxe mais do que uma nova visão, mas me trouxe esperança, sabe? Que tem jeito sim, que as pessoas estão começando a desacelerar, a buscar qualidade de vida, querem colaborar umas com as outras, querem transformar. Essa leitura me fez ter vontade de buscar mais propósito em tudo aquilo que me disponho a fazer, no que escrevo aqui nesse blog, na minha carreira, em tudo. E o melhor de tudo é que se a gente presta atenção começa a ver essa mudança acontecer aqui, pertinho da gente. É a marca de slow fashion que produz em pequena escala e de forma justa, peças feitas pra durar. É a amiga que abriu uma empresa de comunicação em que cada cliente pode indicar uma instituição pra receber o mesmo trabalho de qualidade e de graça. É a colega que contou que onde ela mora estão fazendo uma horta colaborativa onde todo mundo ajuda e se beneficia de alimentos orgânicos e ainda compostam o lixo pra virar adubo. Tá acontecendo mesmo. Isso dá um calorzinho no coração e ainda mais vontade de fazer parte da mudança.

Mesmo que você não trabalhe com moda, o aprendizado desse livro é pra vida. E nessa mesma vibe, já aproveito pra indicar um documentário excelente que também fala sobre construir o mundo que a gente quer. Se chama Demain e tem no Netflix, saiu uma resenha sobre ele aqui no UASL.

O André Carvalhal também escreveu A Moda Imita a Vida que eu pretendo ler logo logo. Se você já leu, me conta o que achou 🙂

Leave a Reply