Camis

Browsing Category:

BEDA 2017

BEDA 2017

Areias para gatos: o guia definitivo

Aqui em casa temos 3 gatos (ou eles nos tem kkk): O Bernardo, a Lola e o Negresco. Apesar de eu sempre ter tido gatos antes de me casar, eles sempre ficavam soltos no pátio então areia higiênica não era uma preocupação. Quando pegamos o Bê não tínhamos a menor ideia de qual era a diferença entre elas, porque uma custava mais caro e a outra muito mais barato, quanto tempo durava, etc. Fomos testando e tentando descobrir qual a “areia ideal”, mas toda vez que chegava um novo gatinho em casa a areia antiga começava a não dar mais certo por algum motivo. Hoje temos 3 gatos e depois de mais ou menos 3 anos na saga da areia vamos fazer um guia pra você que é pai ou mãe de gato de primeira viagem conseguir entender melhor:

Areia comum. Não sei o nome certinho dessa areia, mas é aquela granulada mais fininha tipo a Pipicat que forma torrões quando o gato faz xixi. Quando tínhamos dois gatos em casa usamos a Pipicat Multiplos durante um bom tempo e o custo-benefício era o melhor. Ela é barata e limpando direitinho (nós limpamos a caixa duas vezes por dia) ela controlava muito bem o odor. O problema foi que quando nos mudamos para o nosso apartamento e adotamos o Negresco passou a não controlar mais o cheiro e principalmente espalhar demais pela casa. Essa areia tem grãos fininhos que espalham fácil quando o gato usa a caixa e ela gera uma lama nojenta, então todos os dias quando a gente chegava tinham grãozinhos de areia pela cozinha toda (porque nossa cozinha fica ao lado da lavanderia, onde deixamos a caixa) e se o dia estivesse úmido a situação era a pior possível. Grãos grudados em todo o piso. Já ouvi dizer que misturando farinha de mandioca na areia Pipicat ela absorve melhor e controla melhor o odor, mas nunca testei.

Areia premium. Você vai observar quando chegar no mercado ou na pet pra comprar sua areia que algumas terão um preço beeeeem  acima da maioria: são elas, as areais premium. Areias premium são maravilhosas, perfumadas, absorvem muito bem o odor, formam torrões sequinhos e muito fáceis de recolher sem estragar o restante da areia, a cor é mais clarinha então apesar de espalhar fácil a sujeira é suportável. Mas elas custam caríssimo, na faixa de R$30,00 o pacote que pra nós dura uma semana. Pra quem tem apenas um gato indico muito, vale a pena o investimento. Algumas são biodegradáveis, então pode jogar os torrões no vaso sanitário dispensando os saquinhos plásticos.

Sílica: A sílica é aquela feita de “cristais” e funciona diferente da areia porque ela não forma torrões, ela absorve o xixi e os grãozinhos vão ficando amarelados (o que algumas pessoas acham nojento) até a hora de trocar totalmente a areia. Gosto muito da sílica, apesar de espalhar fácil porque os grãos são leves ela não faz sujeira em contato com a umidade. Não usamos aqui em casa porque com 3 gatos o custo seria um pouco alto. Usamos em torno de 1 saco por semana e a sílica custa mais ou menos R$19,90 o pacote pequeno e R$30,00 o grande.

Argila branca. Essa é a que nós usamos e gostamos muito. A argila branca, na minha opinião, é a que mais vale a pena se você tem muitos gatos. Ela é barata – mais ou menos R$10,00 o pacote – espalha bem menos porque são pedrinhas maiores e mais pesadas, não faz lama, controla bem o odor e é biodegradável. Ela funciona como a sílica, absorve o xixi e não forma torrões. A medida que os grãos vão ficando mais escuros você vai perceber a hora de fazer a troca total.

Existem muuuuitos tipos e marcas de areia sanitária, esses são os mais comuns mas com certeza de uma marca pra outra pode ter diferença. Essa é a minha opinião baseada na nossa experiência nesses 3 anos. Se você também é gateiro e tem sua marca preferida conta pra gente nos comentários.

Esse é mais um post que estava esquecido nas profundezas da blogosfera e o BEDA me proporcionou por motivos de não-tem-assunto-suficiente-pra-um-mês-meu-deus-acorde. Mas seguimos firmes e fortes bedando sem parar.

Amanhã tem mais. Beijas

BEDA 2017, Estilo, Literatura

Livros sobre moda e estilo

Eu amo livros! Amo livros de todos os temas mas pelos de moda tenho um carinho especial e, especialmente depois de começar o curso de consultoria, estou sempre garimpando alguma novidade que me permita aprender um pouco mais. Algumas pessoas me pediram dicas de livros ultimamente (olha que blogueirinha popular ela hahaha) então resolvi aproveitar o BEDA pra fazer um post com os livros mais legais que eu tenho sobre moda e consultoria de estilo.

Como contruir um guarda-roupa inteligente. Esse livro é da Oficina de Estilo e foi lançado somente na versão digital, você pode comprar ele aqui. Ele06 é o meu favorito sobre estilo, porque ele é prático e está bem dentro da nossa realidade. Não parte daquele princípio de que todo mundo precisa ter uma saia preta, um blazer e uma camisa branca no armário e sim questiona qual é a nossa rotina, nossas prioridades, nossos sentimentos com relação ao vestir pra a partir dai descobrir o que é funcional pra gente. Ele é ótimo pra quem tem a sensação de “não tenho roupa” mesmo estando com o armário lotado e também é muito rico pra quem quer se tornar uma consultora.

A Estratégia de Estilo, da Nina Garcia. Esse foi um dos primeiros livros sobre estilo pessoal que eu li e me impactou muito por falar sobre como fugir das armadilhas do consumismo usando bem o que a gente tem. Quando você descobre todas as possibilidades das roupas que tem no armário, não fica com a sensação de estar sempre precisando comprar peças novas.

O Essencial, da Constanza Pascolato. A Constanza é um ícone de bom gosto e elegância e ela traz muito disso no livro. No livro ela fala sobre como compor seu estilo elegendo peças “essenciais”, que serão a base do seu guarda roupas, e acrescentando outras que expressem mais personalidade e poderão complementar essa base.  Essa fórmula é certeira e facilita bastante a vida de quem possui um armário cápsula, porque facilita a coordenação de looks.

A Parisiense. Quando comprei o livro pensei que ele falava exclusivamente sobre estilo, mas ele é mais sobre o lifestyle da mulher parisiense. Ele fala sobre o estilo casual/chic tão caracterísco dessa mulher, aquela ideia de beleza sem esforço mas que tem vários truques por trás. O livro explica desde os truques de beleza e estilo da mulher parisiense até os lugares que ela frequenta.

Personal Stylist – Guia para Consultores de Imagem, da Tita Aguiar. Esse livro vai entrar na lista porque acho que pra quem busca conhecimento técnico sobre consultoria, sobre proporções e como valorizar os diferentes tipos de silhueta ele pode ser útil, mas eu sinceramente não gostei e não pretendo aplicar nas minhas consultorias o que o livro traz. Acredito que ele fica muito preso a “caixinhas”, aos estilos pré-definidos (ou você é romântica, ou é moderna, ou é clássica…) e reforça muito a ideia de esconder determinadas partes do corpo e eu não concordo com essa perspectiva.

Moda com Propósito, do André Carvalhal. Esse livro é sobre moda mas não sobre estilo pessoal como os anteriores. É um dos melhores livros que li e com certeza posso dizer que não sou mais a mesma depois dele. O Moda com Propósito fala sobre uma nova era da moda, sobre as mudanças que precisamos buscar dentro desse mercado como profissionais e também como consumidoras e quais os novos valores que estão ganhando força no mercado da moda. Leitura que indico pra todo mundo, pra quem trabalha no mercado da moda e pra quem não trabalha, é conhecimento pra vida. <3

Mais um dia de BEDA e esse blog nunca teve tanto post em uma semana. hahaha

Seguimos firmes e fortes e amanhã tem mais. Beijas

BEDA 2017

Minha rotina matinal

Sempre fui – desde pequenininha – dessas pessoas que acorda 10 minutos antes do horário de sair de casa. Minha rotina sempre foi abrir os olhos, cair dentro de alguma roupa, tomar um café às vezes de pé mesmo na cozinha e sair correndo, esquecendo metade das coisas que precisava levar.

Mas confesso que me incomodava um pouco o fato do meu dia já começar desorganizado e depois que sai da casa da minha mãe e as coisas passaram a não voltar pro lugar sozinhas hehehe ficou um pouquinho pior. O ruim de sair correndo de manhã e deixar a casa toda bagunçada é que quando você chegar em casa à noite cansada depois de um dia de trabalho ela vai estar do mesmo jeito.

Resolvi tentar algo diferente quando assisti um vídeo da Fran Guarnieni onde ela fala do livro “O Milagre da Manhã“, que ensina uma nova forma de começar o dia com mais significado que pode mudar sua vida segundo o autor. Já tinha lido alguns posts sobre o clube das 5, que é aquela galera que acredita que acordando as 5 da manhãtodos os dias você será bem sucedido, e também um post do Hypeness onde uma menina conta a experiência dela passando duas semanas acordando as 5 horas. Mas vamos com calma que não tô acordando as 5h não hahaha daí já é demais pra mim, mas quem sabe um dia né?

Minha nova rotina é acordar entre 6h e 6:30, tomar banho, tomar café da manhã com calma, me arrumar também com muita calma e então ter um tempo livre pra me dedicar ao meu crescimento pessoal. O livro diz que nosso sucesso profissional nunca vai ser maior do que quem somos como pessoas, então é preciso se dedicar a ser alguém melhor. Eu normalmente leio, fico em silêncio um pouquinho, brinco com os gatos, faço uma oração (você pode meditar ou fazer outra coisa que te ajude a se conectar espiritualmente). Enfim, tenho um momento tranquilo comigo mesma pra começar o dia e isso tem feito muuuuuita diferença: me sinto mais disposta, mais tranquila e menos ansiosa durante o dia. Durante esse mês tem sido um pouquinho diferente, porque estou fazendo os posts do BEDA de manhã, mas é ótimo começar o dia sabendo que já risquei essa tarefa da minha listinha.

E falando em listinha, outra coisa que tem me ajudado demais a melhorar minha rotina é ter um cronograma semanal. Não é nada muito neurótico, mas é pra evitar aquela sensação de estou-fazendo-isso-mas-devia-estar-fazendo-outras-mil-coisas-que-também-estão-atrasadas-acode-aqui. Toda segunda feira faço uma lista das tarefas que terei na semana, como por exemplo criar algum material pra lojinha, fazer pedido com algum fornecedor, ler um livro que esteja em andamento, limpar a casa, tudinho que eu preciso fazer naquela semana. Faço uma outra lista com as tarefas de todo dia, tipo lavar a louça, arrumar a cama etc. Depois monto um cronograma com a rotina de cada dia da semana, assim quando eu acordo já sei o que preciso fazer naquele dia e sei que no final da semana vou ter feito tudo que eu preciso, então não fico naquela ansiedade. Eu uso um caderninho mesmo, mas sei que existem planner específicos pra isso.

Descobri que começar o dia de forma tranquila e organizada faz com que o restante do dia siga nessa mesma vibe. Tem sido uma experiência ótima e apesar de estar me sentindo um pouco mais cansada agora que as aulas da faculdade recomeçaram, pretendo continuar porque o resultado está sendo ótimo. <3

E por falar em rotina, mais um dia de BEDA concluído com sucesso!

Amanhã tem mais. Beijas

 

BEDA 2017, Estilo

Curso de consultoria de estilo

Primeiramente, olha eu aqui BEDANDO de novo. <3

Como comentei lá no meu tuiter, comecei o BEDA meio na loucura. No dia anterior ao início do desafio eu vi a movimentação no grupineo do Facebook e pensei: “quer saber? por que não?” e assim escrevi o primeiro post. Mas mesmo estando no começo – temos um loooongo agosto pela frente rindo de nervosa – já estou sentindo uma energia tão boa na blogosfera que tem feito valer a pena acordar cedinho todos os dias pra escrever um post. Sim, talvez você ainda esteja dormindo enquanto eu escrevo esse post, são 7:20 am agora :). As meninas querem ajudar umas às outras, dar dicas, motivar, criam posts pensando umas nas outras, planilhas, banners, enfim! Que orgulho de estar participando. <3

Mas vamos ao post de hoje. Lembram que no post anterior eu comentei sobre uma fase de não-sei-o-que-fazer-da-minha-vida-acode-aqui que passei no início desse ano né? Então, quando a crise existencial bateu forte mesmo resolvi experimentar coisas novas, porque como eu ia saber do que eu realmente gosto se só tinha feito praticamente a mesma coisa a vida inteira? E foi aí que surgiu a vontade de fazer um curso de consultoria de estilo, pois queria poder entender melhor como deixar meu próprio guarda-roupas mais funcional e também ajudar outras pessoas. O fato da consultoria conseguir promover a auto estima sempre me encantou, porque eu acredito que a moda tem um lado muito nobre e era nisso que eu queria me aprofundar.

Iniciei o curso em abril, cheia de expectativas e animadíssima e no final do mês de agosto eu me formo oficialmente como Consultora de Estilo. Tem sido uma experiência incrível porque pela primeira vez em muitos anos eu saí do “mundinho” do design/design gráfico/agência e fiz algo totalmente diferente. EU TRABALHEI NA MAIOR PARTE DO TEMPO SEM ESTAR NA FRENTE DE UM COMPUTADOR, sim isso é possível. E preciso dizer que é bem maravilhoso às vezes.

Uma das coisas mais valiosas que o curso tem me proporcionado é o auto conhecimento. No curso, além das aulas nós passamos por uma consultoria feita por uma colega e foi nesse momento que eu descobri que a maior parte do meu guarda roupas é constituído por jeans e tecidos em tons de azul que lembram jeans, e eu que me achava tão ~ousada e sem medo de me vestir percebi que estava na famosa zona de conforto, agarrada aos básicos com todas as forças.

A segunda descoberta veio com o curso e também analisando outras consultoras pela rede mundial de computadores. Quando comecei a prestar mais atenção na Ana, descobri que armário versátil não precisa ter só peças neutras e aí me caiu uma ficha gigantesca. Os básicos são importantes porque eles podem ser a base das suas produções e, complementando com peças mais marcantes, você consegue se vestir com facilidade e criar visuais diferentes. Mas não precisa viver só deles.

Outro tabu que quebrei pra mim mesma durante esse período: voltei a usar rosa sem medo. Sempre fui um pouco infantilizada pelas pessoas, mesmo sendo relativamente alta (não sou uma pessoa pequena) geralmente me chamam de Camilinha, então depois dos 20 eu decidi porque-sim que não poderia mais usar rosa, que foi minha cor favorita a vida toda, porque as pessoas não me levariam a sério. PFFF que bobagem! Eu amo essa cor e vou deixar de usar por causa de uma percepção dos outros? NÃO MAIS MEU AMÔ! Existem formas de coordenar um look pra que ele não fique infantil ou romântico demais e isso nos permite usar tudo que a gente quiser. <3

Aliás, acredito que algo muito importante que tenho aprendido com essa profissão de consultora é que tudo é permitido se faz a gente se sentir bem. Eu não tenho o direito de dizer que alguém não pode usar uma roupa porque evidencia uma parte do corpo que “deve ser escondida” , como muitas antigas consultoras faziam. Quem disse que corpo é motivo de vergonha, seja ele qual for? Meu propósito é fazer com que cada mulher se sinta linda e confiante, use o que faz ela feliz, saiba que não tem problema nenhum com o corpo dela. Essa é a função de uma consultora e a moda é a ferramenta pra gente realizar isso. É lindo né?

Pra quem tiver curiosidade sobre o curso, ele é do Senac, tem 60h – o que é bastante comparado com outros cursos de consultoria – e é bem completo. Indico pra quem quiser se descobrir em uma nova profissão ou adquirir como conhecimento pessoal, vale muito a pena.

E é claro que também podem me procurar se quiserem participar de uma consultoria pra descobrir novas formas de usar – e amar – aquilo que já tem. 🙂

Mais um dia desse BEDA que mal chegou e já considero pacas. Vocês estão curtindo? Me conta nos comentários <3

Amanhã tem mais. Beijas

 

BEDA 2017, Decoração

Alecrim, minha lojinha virtual de quadros

A Alecrim realmente nasceu faz mais ou menos um mês e eu que sou a blogueira mais desnaturada dessa rede mundial de computadores nem se quer fiz um post decente contando sobre essa minha nova jornada empreendedora. Então eis aqui coisas que o BEDA nos proporciona! hahaha

Esse ano de 2017 pra mim tem sido um ano de novas experiências e também de muita crise existencial. No início do ano já não sabia mais o que queria fazer da vida, achava que tinha escolhido a faculdade errada (me formo em Design no ano que vem), que trabalhar com design gráfico não tinha nada a ver comigo e comecei a questionar qual seria o meu propósito como profissional e como pessoa. O design pra mim é algo onde não se coloca apenas técnica, claro que ela é muito importante, mas um trabalho de design completo envolve alma. A gente precisa acreditar no que faz e eu já não acreditava mais.

Em abril saí do emprego em que estava e fui pra outra agência que foi uma das piores experiências que já tive profissionalmente. Depois de 45 dias lá estava eu de volta no meu antigo-atual emprego e aí resolvi que precisava fazer alguma coisa a respeito do que estava sentindo. Queria resgatar aquela coisa de colocar o coração em um trabalho e acreditei que poderia sim fazer algo legal e com propósito através do design gráfico que – estou concluindo nesse processo – é o que eu realmente amo fazer.

A ideia de empreender com meu trabalho já era antiga, mas nesse momento começou a tomar forma e eu vi que ela poderia se tornar real. E aí com todos os frios na barriga possíveis, criei a Alecrim! Pode parecer algo pequeno pra algumas pessoas e, de fato, ainda é. Mas é onde tenho colocado meu coração nos últimos tempos, onde trabalho aos domingos sem me importar e onde eu resgato meu amor pela profissão que escolhi. É diferente do meu trabalho real oficial, aquele de 8 horas por dia, porque eu não preciso seguir um briefing de alguém ou atender às exigências de outras pessoas. Eu posso seguir um pouco mais a minha instuição e criar algo pura e simplesmente porque acredito que fará alguém feliz quando pendurar na parede da sua casa e preciso dizer que esse sentimento é o mais gratificante de tudo.

Hoje a Alecrim tem e-commerce, conta no Instagram e página no Facebook e toda semana temos novidades! Espero que vocês conheçam – e amem – a minha loxinha tanto quanto eu.

E estamos o que? BEDANDO pelo terceiro dia consecutivo muito animadas ainda, obrigada.

Amanhã tem mais <3