Camis

Browsing Category:

BEDA 2017

BEDA 2017

Do lado de fora da minha janela

Meu lugar favorito pra escrever é na mesa da cozinha, que fica de frente pra uma janela grande. Apesar de termos uma escrivaninha com um computador bem melhor que meu notebook e uma cadeira bem mais confortável do que as da cozinha, é aqui que me sinto mais inspirada.

O tema desse post foi uma sugestão que vi no grupo e quando li imediatamente olhei pro lado de fora da minha janela, pra ver o que teria pra escrever. Dei de cara com dois Ipês Roxos totalmente floridos que tem enfeitado a minha vista todos os dias, eles são tão lindos e eu amo como colorem o meu horizonte. Adoro ver o vento batendo nas árvores e quando as flores caem com ele.

Moro pertinho de um supermercado e sempre dou uma olhadinha pra ver se o estacionamento está cheio ou não. É uma bobagem mas é quase involuntário hahaha. Gosto de ver o movimento da rua, eu moro em uma das principais avenidas da cidade por onde passam quase todos os ônibus que circulam, mas é muito gostoso de se ver aos domingos como a rua fica uma calmaria.

Antes de nos mudarmos pra cá, nunca tinha imaginado morar nesse ponto da cidade. Eu como toda boa Hamburguense amo odiar Novo Hamburgo mas esse cantinho onde a gente mora é o meu favorito na cidade inteira. Talvez – e provavelmente – seja porque aqui eu fiz meu lar, então esse afeto que eu tenho pela minha casa se estende para a vizinhança toda.

Meu cantinho favorito no mundo. ❤🏠 #homesweethome

A post shared by Camila de Oliveira (@camisolvr) on

O BEDA obriga a gente a escrever sobre tudo né? Então me conta o que tem do lado de fora da sua janela também. <3

BEDA 2017

Beda – Como está sendo até agora

Já estamos no dia 11, quem diria, firmes e fortes bedando sem parar aqui nesse blog <3 Posso ser bem sincera? Nunca pensei que conseguiria. Pensei que a inspiração e a organização iriam morrer bem antes dos 10 dias, porque euzinha nunca consegui manter uma rotina de posts decente. Mas tamo aqui, não tamo? Então isso que importa. <3

Como eu disse lá no primeiro post, comecei a o desafio na loucura sem ter nenhum post programado. Tinha algumas ideias na cabeça e fui escrevendo, adiantando quantos posts conseguia. Bem, essa semana não escrevi nenhum dia porque já tinha todos os posts programados e porque as ideias, elas meio que acabaram na primeira semana hahahahaha rindo de nervosa. Então vamos ajudar a tia aqui? Se tem algum tema que você gostaria de ver aqui no blog, me conta nos comentários, ta?

Mas vamos falar dessa experiência linda que é o BEDA. A Karine disse no blog dela e eu não poderia concordar mais: a coisa mais legal do BEDA é conhecer pessoas, comentar em outros blogs, responder comentários de pessoas queridas que pararam pra ler seu blog e deixar um recado fofo. É um momento muito gostosinho do meu dia quando entro aqui e tem comentários pra responder e fico muito emocionada quando são de algum blog que eu leio e amo. É uma energia e um carinho tão grandes que rolam lá no grupinho no Facebook e nos comentários que sinceramente EU QUERIA BEDAR PRA SEMPRE, but não sei se sobreviveria.

Acho que o mais importante pra mim como ~blogueira (posso dizer assim? risos) foi perceber que eu posso sim postar com mais frequência e que, mesmo em pouco tempo, eu consegui perceber como minha escrita foi ficando mais solta, mais do meu jeitinho com essa prática diária. Claro que post todo dia pra sempre que não sei se consigo, mas um post ou dois post semana é mais do que possível e vou trabalhar pra que isso se mantenha depois do BEDA.

E já que o assunto é ele, o famigerado BEDA, aqui vão alguns dos posts mais amorzinho que li nos últimos dias:

A Karine escreveu um post tão lindo, com tanta sensibilidade falando sobre escolher nosso futuro e como nem sempre é claro o caminho que a gente deve seguir. Me identifiquei totalmente.

A Isa escreveu esse post com memórias da infância dela, de momentos que viveu com a avó e foi impossível não lembrar dos meus avós imediatamente, principalmente do meu avô que já não está mais com a gente. Não confirmo nem nego que tenha caído um cisco no meu olho.

A Nicas fez esse post com a Tag 30 anos, mas o que eu amei mesmo foi ela ter ilustrado tudo com gifs de Gilmore Girls e inclusive tive vontade de rever a série toda.

E é assim que tem sido o menino BEDA até o momento. Amanhã tem mais!

Beijas

 

BEDA 2017

O tabu de repetir roupa

Quando assisti o documentário “Minimalism” lembro que a menina que criou o project 333 (parecido com o armário-cápsula, ela usava apenas 33 peças por 3 meses) comentou sobre como ninguém notava que ela usava só 33 peças. Da mesma forma, quando eu conto pra alguém que meu guarda-roupas da estação tem mais ou menos 40 peças entre roupas e sapatos as pessoas ficam surpresas porque eu não pareço usar sempre a mesma roupa. A verdade é que não repetir roupa é totalmente inviável do ponto de vida sustentável e, vamos combinar, financeiro também. Todo mundo repete roupa com alguma frequência e a verdade é que: we don’t care. Ninguém repara and ninguém se importa.

Esses dias surgiu um desafio no Instagram chamado 1 look por uma semana, em que várias pessoas usaram o mesmíssimo look por 7 dias seguidos pra mostrar que não é feio repetir roupa. Apesar de a efetividade do desafio ser duvidosa porque a gente que trabalha fora e usa a roupa o dia todo não consegue usar o mesmo look por uma semana porque né, o cheirinho não seria lá muito agradável, fiquei pensando comigo: que ano é hoje? A gente ainda precisa de toda essa mobilização pra dizer pras pessoas que elas podem, sim, repetir uma roupa que ninguém vai ligar? Que repetir roupa é normal e, mais do que isso, reforça a sua identidade e os seus valores porque você tá afirmando que gosta mesmo daquela roupa e por isso vai usar ela o máximo possível.

O legal do desafio foi ver como algumas pessoas mostraram que é possível versatilizar as mesmas peças de roupa usando acessórios e sobreposições diferentes de um jeitinho que nem parecia que estavam usando o mesmo look, como foi o caso da Gabi. No curso de consultoria fizemos um exercício parecido na hora de simular como montar uma mala de viagem: nós tentamos explorar todos os looks possíveis que poderíamos obter com as mesmas peças, assim com uma mala pequena você pode passar vários dias fora. E se a gente pode fazer isso em uma viagem, porque não pode fazer na vida?

Usar o mesmo look por uma semana é inviável, mas experimenta separar 10 peças do seu armário e tentar montar 10 looks diferentes com elas. No dia a dia a gente “vicia” em usar as peças sempre dos mesmos jeitos, com as mesmas combinações, mas quando a gente se força pra ir um pouquinho além o resultado é bem surpreendente!

Quer dicas de como criar combinações diferentes com as peças de sempre? Faz assim, ó:

/1. Pede pra alguém sugerir looks pra você. Uma visão diferente da nossa é sempre um sopro de ar fresco.

/2. Pegue duas peças que você acha que não combinam de jeito nenhum e tente criar um look inserindo acessórios e outras sobreposições.

/3. Use uma peça de roupa com uma função diferente, por exemplo usar um vestido como blusa.

Depois me conta qual foi o resultado! Repetir roupa pode ser muito divertido e você aprende que precisa de bem menos do que imagina pra se vestir bem. <3

E vambora que amanhã tem mais beeeeeeda! Beijas

BEDA 2017

Meus filmes favoritos de todos os tempos

Depois do sucesso do post com minhas séries favoritas (MENTIRA kkk) muita gente me pediu (MENTIRA de novo kk) um post com meus filmes favoritos. Visto que sou uma pessoa velha de alma todos eles são velhos, muitos são clichês mas esse é meu jeitinho. Então vamos direto ao assunto e toma aqui meus filmes favoritos de todos os tempos ever and forever:

Uma Linda Mulher. Esse não é só meu filme favorito, mas meu e da minha mãe. Já assistimos dezenas de vezes e sempre que uma de nós sugeria assistir de novo era “vamo?vamo.”. Assim, sem nem pensar. Julia Roberts abrindo mão do boy magia por causa do seu amor próprio e depois o boy percebendo isso e indo atrás dela, nunca vou me cansar disso. <3

Como perder um  homem em 10 dias. Talvez seja tarde pra dizer que essa lista só terá comédias românticas? Talvez. Esse filme é outro clichezão que eu amo. É engraçado, é aquele tipo de coisa que nunca vai acontecer na vida real mas quem liga? A menina fica com o boy pra cometer muitas cagadas de relacionamento e escrever um artigo de revista contando a experiência, ele fica com ela pra ganhar uma aposta e com isso ganhar uma conta numa agência de publicidade. Os dois descobrem, brigam e no final ficam juntos e felizes pra sempre. Não é spoiler se o filme tem mais de 10 anos né?

O casamento do meu melhor amigo. É tarde pra dizer que essa lista terá muita Julia Roberts? pois é. Julia é todas nós que um dia botamos um boy na friendzone e quando o dito cujo ficou com outra entramos em crise. (Eu inclusive casei com esse boy depois kkk). Mas o filme não tem o final que vocês estão esperando não e esse eu não vou contar. Do ponto de vista do feminismo ele tem alguns probleminhas né? Rivalidade entre mulheres, a mulher perdendo a cabeça e fazendo m* por causa de homem. Mas é comédia romântica antiguinha da Julia Roberts então a gente perdoa, eu me recuso a problematizar.

Noiva em fuga. Porque eu jamais me canso do casal Julia Roberts e Richard Gere. Esse acho que todo mundo conhece né? A Julia nunca consegue se casar porque se apavorada quando o compromisso tá prestes a ser oficializado e foge, de vestido e tudo. Às vezes montada num cavalo. Richard é um jornalista que vai lá pra cidadezinha dela pra observar a moça e escrever uma matéria e acaba o que? APAIXONADO POR ELA É ÓBVIU.

Dance comigo. Esse filme minha gente, ESSE FILME. Eu já vi mais de 200 vezes. Não tem Julia Roberts mas tem Richard Gere e é um pouco mais dramático. Richard começa a fazer aulas de dança escondido com ninguém menos do que Jennifer Lopez e quase se apaixona por ela. Mas o quase-romance não é o centro do filme e isso é bem legal. Os personagens são todos muito09 cativantes: a senhorinha dona da escola de dança, o cara desajeitado que quer aprender a dançar pra impressionar a noiva, o outro cara que dança escondido porque tem medo do preconceito com homens que dançam, a própria Jennifer Lopez que se frustrou com a carreira e com a vida e se escondeu na escola de dança tem uma história muito bonita de voltar a acreditar em si mesma. Amo esse filme.

E é isso minha gente. Só 5 porque temos muito agosto BEDA pela frente.

Amanhã tem mais. Beijas.

BEDA 2017

Minhas séries favoritas de todos os tempos

Sabe aquela pessoa viciada em séries? Não sou essa pessoa. Não assisto Game of Thrones, desgurpa sociedade, não assisti 13 Reasons Why até o fim, não assisto nenhuma dessas séries que as pessoas dizem MEU DEUS COMO VOCÊ NÃO ASSISTE?  – pois é.

Mas o fato é que quando eu realmente gosto de uma série, DAÍ EU GOSTO. Daí eu assisto e assisto de novo. E eu sofro. E eu amo e odeio os personagens. E eu sinto saudade real oficial quando acaba como se as pessoas da série fossem minhas amigas e tivessem ido embora. É assim mesmo, bem intenso, mas aconteceu poucas vezes. Aqui vão minhas três – sim, só três – séries favoritas da vida inteira:

Gilmore Girls. Gente, Gilmore Girls, pelo amor de deus me dá uma coisinha de nostalgia e saudade só de dizer o nome dessa série maravilhosa. Eu não assisti ela quando passou na TV, fui conhecer quando entrou no Netflix e em  pouco tempo devorei as 7 temporadas e comecei a me remoer pelo revival que iria ser lançado. Chegou o revival, assisti o revival, chorei com o revival. E agora, sem previsão de outras temporadas, estou completamente orfã e pensando em voltar a assistir tudo de novo porque sim. Sei que a série é velhinha mas pra quem não assistiu ela conta a história da Lorelai e da Rory, mãe e filha, e sua vidinha na pequena cidade de Stars Hollow. Lorelai foi mãe com 16 anos e resolveu sair da casa dos pais e criar a filha sozinha, filha aliás que tem o mesmo nome que ela. Pode ser mais maravilhoso e girls power? Não pode. Os relacionamentos da Rory acabam tendo muito destaque na trama e ela se envolve com muitos boys lixo – quem nunca, não é mesmo? – e vai se perdendo e se encontrando durante toda a série. Eu sofro junto, toda fucking vez. Essa série acaba com minha estrutura emocional.

O.C. Um estranho no paraíso. Essa série marcou minha adolescência, eu assisti pela primeira vez quando tinha uns 16 anos. Eu e a minha prima alugávamos os dvds na locadora pra virar noites assistindo. A série fala do Ryan, um menino de 16 anos, que começa a se envolver no crime por causa do irmão mas acaba sendo adotado pelo defensor público e caindo de paraquedas na cidade de Orange Country, cheia de gente rica e uma realidade bem longe da dele. Ele se apaixona pela Marissa Cooper e daí é dor e sofrimento em cada episódio porque tudo que tem pra dar errado na vida deles DÁ. Em todos os sentidos imagináveis. Um dos momentos mais dramáticos da minha vida e dos adolescentes da minha época foi quando Marissa morre em um acidente de carro na quarta temporada. Eu nunca superei. Aliás, nunca consegui terminar de assistir a série porque mexe demais comigo real oficial. Sofro com Ryan, a vida do guri já é tão difícil e nada nunca dá certo pra ele, mesmo ele querendo ficar longe do crime e ter uma vida melhor. #somostodosryan.

E por último mais jamais poderia deixar de estar nessa lista por motivos de FRIENDS. Tenho meu amor e ódio por essa série. Amo porque sim <3 E odeio porque em alguns momentos ela deixa a desejar, como no relacionamento de Ross e Rachel onde ela é maravilhosa e ele um bosta, e mesmo assim ela abre mão de coisas por ele PFFFFF. ALÔ? Aquela mulher não precisa desse boy pra ser feliz e realizada não. Mas né, superada essa parte a série é daquelas que sempre fazem a gente rir e desejar amigos assim. Como diz o ditado: mais que amigos, friends.

E é isso caros leitores do BEDA, só três séries. De modo geral, prefiro filmes que não me causam tanta ansiedade. Cês querem um post com os filmes favoritos? Já aviso que como a pessoa de 84 anos que sou só vai ter filme velhinho e clichê <3

Beijos e amanhã tem mais.