30 happy days

30 happy days #2

/manhãs.

Olha quem falhei com o projeto logo no segundo post? Euzinha, campeã mundial de deixar coisas pela metade. Ou menos que a metade. Mas dessa vez estou comprometida em levar até o fim, mesmo que com alguns tropeços pelo caminho.

Estou escrevendo esse post em um domingo de manhã, daqueles mais gostosos que existem. Acordei com o barulho da chuva e a temperatura mais fresquinha que tivemos em muitos dias. Lucas levantou, colocou ração para os gatos e me perguntou: “quer café?”. Respondi que sim, e levantei apesar de tudo estar muito propício a ficar na cama. Enquanto tomava café da manhã com a chuva batendo na janela me dei conta de o quanto amo esse ritual matinal e o quanto eu – do meu jeitinho – amo as manhãs. Sempre soube que a manhã é meu horário mais produtivo mas nesse horário sou ironicamente mais introspectiva e mais calma, talvez por isso crie melhor. Sou dessas pessoas que só conversa o necessário quando acorda, preciso ter o “meu tempo” e como amo esse tempo.

Sempre achei que gostar de acordar cedo em finais de semana fosse coisa de gente velha, talvez eu esteja velha mas talvez eu tenha apenas aprendido a valorizar mais os momentos gostosos do dia-a-dia por mais simples que sejam. Tomar uma xícara de café ouvindo barulho da chuva, acompanhada de alguém que eu amo e que entende totalmente minhas manias matinais é um desses momentos que gostaria de congelar. Acho que a maturidade traz esse tipo de sensibilidade pra gente, de saber que tudo que a gente vive é único.

Adoro manhãs.

Leave a Reply