Camis

BEDA 2017

Meu Cabelo

Já era tempo de ter um post aqui no BEDA sobre ele: o famigerado cabelinho. Sempre gostei muito de mudar o cabelo, mas acho que nunca me senti tão de bem comigo mesma como me sinto hoje com ele curtinho. Como a pessoa preguiçosa que sou, ter um cabelo que eu consiga lavar, secar and finalizar de manhã em poucos minutos é MÁGICO. Não tem preço. É verdade que não tenho muito como variar no comprimento que ele está hoje, mas sendo bem sincera quando tinha meu cabelo comprido as variações giravam em torno de coque, rabo de cavalo e ~solto de prancha. Nada muito inovador.

A maior mudança pra mim foi na quantidade de produtos usados. Meu shampoo e meus condicionadores não acabam nunca, o creme para pentear é eterno e a única coisa que eu realmente uso mais é uma pomada modeladora. Essa foi outra mudança significativa: se eu não ajeito o cabelo com pomada modeladora eu não saio de casa. O cabelo curtinho assim não te dá muitas opções no bad hair dair, é lavar ou tacar algum produto que resolva.

Outra mudança que eu não esperava era ter que cortar o cabelo com tanta frequência. Com os cabelos compridos, eu cortava em média de 3 em 3 meses, hoje depois de 30 dias é CONTAGEM REGRESSIVA porque o cabelo parece ser um capacete na minha cabeça. Mais de 2 meses não tem condição nenhuma de sair em público já que meu cabelo é ondulado e tem volume então ele cresce pra cima e para os lados, jamais pra baixo.

Você também vai perdendo o medo de “estragar o cabelo”, sempre que eu penso em fazer alguma coisa diferente que pode não ficar boa eu penso: cabelo cresce. Daqui dois meses eu nem vou lembrar mais que fiz isso. Na última semana passei a máquina nas laterais e decidi fazer isso um dia antes, gosto dessa emoção.

Confesso que quando vejo fotos minhas com cabelo comprido já nem parece mais que sou eu, mas às vezes sinto saudades de poder brincar um pouco mais com o cabelo então talvez eu deixe ele crescer um pouquinho mais e volte a usar ele assimétrico como no primeiro corte pixie que eu fiz, com a franja maior. Eu lembro que cortei o meu cabelo um pouquinho depois que a Julia Petit cortou o dela e acompanhando o crescimento do cabelo da Julia me dá até uma vontadezinha. Mas sinceramente eu amo tanto o curtinho que não sei se conseguiria. <3

O cabelo da gente é mais do que tudo uma expressão de quem a gente é ou do momento que estamos vivendo né? Me conta nos comentários qual a maior mudança capilar que você já fez!

 

BEDA 2017

Como se manter motivada

A vida da gente é corrida né? A gente se desdobra em mil pra dar conta de todas as obrigações e ainda descola um tempinho pra manter os projetinhos paralelos nas horas vagas. Não é raro alguém se assustar quando eu conto sobre os meus projetos: eu tenho esse blog, escrevo pra Margot Magazine, sou todas-as-funções-possíveis na Alecrim e no final desse mês me formo como consultora de estilo. Esses são os projetos das horas que nunca estão vagas. Ainda tem o trabalho de 8 horas por dia na agência e a faculdade à noite.

Sei que algumas coisas vão precisar mudar, porque estou começando a me sentir desorientada com tantas coisas diferentes precisando da minha atenção. Amo tudo que eu faço e como boa apegada que sou não quero abrir mão de nada, mas às vezes confesso que bate um cansaço. Tem dias que a vontade é desistir ou, pelo menos, dar uma pausa de tudo e sumir. Fazer só o que é obrigação, botar os projetos na gaveta, deixar pra lá e fingir que foi só uma ideia ruim. Esses dias são sempre difíceis mas algumas coisas me ajudam a passar por eles:

Listas. Coloque todos os seus projetos no papel e comece a listar quanto tempo investe em cada um, quanto dinheiro já investiu, qual o nível de satisfação pessoal que ele te proporciona e o mais importante: por que você o criou. Às vezes a gente precisa lembrar do propósito daquilo que a gente faz e porque é importante pra nós.

Estar perto de pessoas que acreditam no meu sonho. Às vezes você não vai acreditar em você mesmo, é duro dizer mas é verdade. Nesses dias – e pra falar a verdade em todos os outros – as pessoas que você mantem por perto farão toda a diferença. Quando a Alecrim ainda não tinha vendido nenhum quadrinho sequer foram os amigos que me botaram pra cima e me fizeram acreditar nessa ideia. Toda vez que é difícil e eu penso que não vai dar em nada, é uma numa conversa despretensiosa que eles me dizem que é difícil sim, mas que vale a pena. Tenho amigas empreendedoras das quais me orgulho muito e que sempre fazem questão de me mostrar o caminho por onde elas já passaram e que agora eu tô começando a trilhar. Elas me guiam, me motivam, acreditam na minha ideia. E quando eu tô cansada demais da rotina é o Lucas quem assume as coisas por mim. Cada amigo que compartilha nas redes sociais um produto nosso, cada comentário que eu recebo no blog, cada vez que alguém diz que eu serei uma ótima consultora eu sinto minha energia sendo recarregada.

Saber que não é crime desistir. Acho que isso vale pra tudo na vida, pra relacionamentos e projetos: permaneça enquanto te fizer bem. Não pegue pra você a obrigação de levar algo até o fim só porque já investiu nisso. Quando você aceita que nem tudo precisa ser eterno é muito mais leve a caminhada. Sem esse fardo pesadíssimo pra carregar é muito mais fácil pensar com clareza se você realmente ama e acredita no que faz. Se você não encontrou nenhuma resposta positiva nas suas listas, se mesmo com a motivação de quem gosta de você aquela energia não voltou, se você não se identifica mais com o que te fez começar: pare. Dê espaço pra algo novo surgir, algo mais legal, com mais propósito. Ou então renove, repense, mude completamente os planos! Vale a pena ler esse post do Larusso sobre isso.

Conta pra mim os seus projetos aqui nos comentários <3

Beijos, e amanhã tem mais BEDA.

BEDA 2017

3 projetos DIY pra você colocar a mão na massa

Então gente, eu não sou nenhuma blogueirinha duitiurself, mas tentar a gente tenta né? Então separei 3 projetinho que salvei no Pinterest pra sugerir pra vocês, já que eu mesma nunca os fiz hahahaha Mas são tão bonitos os rostos que acho legal que alguém faça.

/1. Vaso de flor com olhinhos. Esse DIY, como todos os outros, é bem auto explicativo. Pegar um vasinho, pintar de alguma cor base se necessário e fazer olhinhos com caneta permanente. Tá pronto, tá lindo, tá tãmbler.

/2. Enfeite boho com fotos. Você pega um galho seco, pega fotos, pega cordões, junta tudo e temos esse belíssimo não-sei-como-se-chama muito hipster pra decorar sua casa com lembranças suas.

/3. Parede de triângulos. Da parede de bolinhas vocês já devem estar um pouco cansados, eu também. Fiz na outra casa que a gente morava, fiz aqui no apê, mas agora estou mais ousada e pensando em fazer uma parede de triângulos com contact preto em algum cantinho desse nosso pequeno lar. Fofíneo né?

Amanhã tem mais BEDA, os temas estão se esgotando e eu estou me desesperando por isso sugiram temas nos comentários please.

Beijas

BEDA 2017

Rotina

Sempre fui uma pessoa inquieta, odeio a rotina, qualquer tipo de rotina. Sempre vi a mudança como uma coisa positiva, vocês podem ver pelo meu cabelo que não passa nem dois meses do mesmo jeito: ele já foi preto, ruivo, loiro, comprido, médio e hoje é curtinho. Sempre, todo dia, me olho no espelho e penso no que posso fazer pra me ver de um jeito diferente.

Quando escolhi minha profissão uma das coisas que me levou para o design foi o fato de poder estar – teoricamente – sempre trabalhando com projetos diferentes. A ideia de passar a vida presa num escritório fazendo a mesma coisa me aterrorizava. Com o tempo fui ficando entediada da rotina agência/faculdade e aí surgiu o blog, pra eu ter uma coisa diferente pra fazer nas horas vagas. Depois de anos trabalhando só com design gráfico e publicidade senti vontade de fazer algo totalmente diferente e fui cursar consultoria de estilo.

EU. ODEIO. ROTINA.

Mas o mais engraçado disso tudo é que tem uma rotina que eu gosto. Pode ser que eu queira mudar tudo todos os dias, mas chegar em casa, ver ele, ver os gatos, ir no mercado, encontrar sempre algum amigo na portaria, comer nossas coisas favoritas, isso nunca me cansa. Pode ser que eu queira mudar tudo lá fora, que eu queira até mudar pro outro lado do mundo, mas o que a gente tem aqui dentro desse apartamento pequeno eu quero sempre levar comigo. A nossa rotina, essa eu amo.

Esse mês completamos 4 anos juntos e tudo que eu quero é que a nossa rotina continue se repetindo por muitos anos. Eu, ele e os gatos. Eu mudei, como vocês podem ver na foto, ele também mas o que a gente continua tendo em comum nos torna cada vez melhores juntos.

Que romântico esse BEDA, né não? hahaha

 

BEDA 2017

Lições que eu aprendi com Lorelai Gilmore

Sou fã apaixonada e assumida de Gilmore Girls, em especial da Lorelai Gilmore. Eu adoro a Rory, adoro a Emily e a Sookie então é a melhor amiga que uma pessoa poderia ter mas a LORELAI, ela é fora do comum. Engraçada, determinada, independente e ao mesmo tempo uma mãe super sensível e compreensiva. Como não amar essa mulher? Ela e Luke são meu maior shipp de todos os tempos.

Algumas coisas importantes que a Lor me ensinou ao longo das 8 temporadas:

Ela é girl power. Já começamos com o fato de que ela colocou o próprio nome na filha e apesar de isso parecer meio bobo logo de cara tem um significado enorme. Porque homens colocam seus nomes nos filhos e nós não? Ela saiu da casa dos pais e abriu mão de todo o conforto e segurança que eles podia dar pra ela em troca de escrever a própria história dela com a filha. Ela conseguiu ser bem sucedida, ter seu próprio hotel, formar a filha na faculdade e só se casou com o Luke bem depois. Ou seja, ela fez o próprio caminho e depois convidou ele pra acompanhar.

As pequenas coisas são especiais. Lorelai ama neve, ela sente de longe o cheiro da neve chegando e eu sempre achei isso encantador. Ok, quando neva em Gramado é o acontecimento do ano mas em Stars Hollow isso acontece todo o inverno. E todo ano, mesmo que ninguém mais se importe, ela fica esperando a neve chegar. <3

O amor da sua vida as vezes é muito improvável. Lorelai e Luke eram bons amigos, ela passou TEMPORADAS repetindo isso. Eu cheguei a perder a esperança em alguns momentos, porque ela parecia não ver mesmo o quanto os dois tinham a ver. Pra ela era improvável que a pessoa que servia o café dela todas as manhãs fosse a pessoa certa, mas era. Sabe aquela história de que se uma coisa é fácil demais é porque tá errada? As vezes não tá, as vezes é simples mesmo, tão simples que a gente custa a acreditar.

Que com determinação e bons amigos você vai longe. Lorelai começou a trabalhar no primeiro emprego dela em um hotel quando bateu na porta sem experiência, sem dinheiro e com uma filha no colo. Ela trabalhou, aprendeu, cresceu, conheceu sua melhor amiga e as duas juntas abriram seu próprio hotel muuuuuuuitos anos mais tarde.

Café é seu melhor amigo. Pra acordar, pra esquentar, pra pensar na vida, sempre tenha tempo pra um café. <3

E a mais importante na minha opinião: você precisa ser feliz sozinha, pra depois convidar pra sua vida alguém que faça ela ainda melhor. Lorelai tinha uma filha incrível, sua própria empresa, muitos amigos e pessoas que gostavam dela. Ela era super feliz assim, ela não precisava de ninguém, a felicidade dela não dependia de outra pessoa. Quando ela e Luke finalmente ficaram juntos ele conseguiu fazer da vida dela, que ja era incrível, ainda melhor. Apesar de sofrer muito em um término dos dois, ela retomou a vida dela e seguiu plena e dona da si. ESSA MULHER É UMA RAYNHA.

O gif eu peguei emprestado lá no Apto 401 <3

E vamos lá00 que amanhã tem o que? ELE MESMO, BEDA.

Beijas